Vigilância Sanitária contribui para qualidade alimentar do município

 

O trabalho do Departamento de Vigilância Sanitária (DVISA), órgão responsável fundamentalmente pela prevenção, proteção e promoção da saúde pública de Porto Velho, ganhou destaque quando o empresário de uma panificadora da capital foi agraciado com um troféu internacional pela excelência na qualidade dos produtos e serviços oferecidos. A premiação é concedida anualmente pelo Global Trade Leaders' Club com base nas informações repassadas por empresários de 90 países.

 

    A Diretora do Departamento de Vigilância Sanitária, Daniele Silva de Souza, explica que o trabalho é minucioso e busca promover a qualidade de serviços oferecidos e proteger a saúde da população e atende as regulamentações da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). “Fazemos a fiscalização de oitenta e seis diferentes segmentos, entre estes da área alimentícia. Dividimos estes segmentos entre as categorias de alimentos, saúde ambiental e de serviços de saúde. Além disso damos o suporte no sentido de mostrar possíveis melhorias do estabelecimento. No caso desta padaria a intervenção sanitária foi ao longo dos anos. Lá, além da fiscalização sugerimos adequações ao proprietário que as realizou”, afirma.

 

    Mário de Queirós Araújo, 84, proprietário da panificadora há 27 anos, conta que o trabalho da Vigilância Sanitária o auxiliou a receber o troféu. “Nunca tive um freezer interditado. Isso é importante para mim. Procuro trabalhar dentro das normas. Acredito que recebi o prêmio porque sou muito rigoroso no que faço. Meu pão é feito do jeito de antigamente. Hoje, não se faz mais pão do jeito que eu faço porque é muito caro”, comenta.

 

    Mário diz que foi preciso fazer adequações no seu estabelecimento. E que não foi receber o troféu na cidade de Madrid, na Espanha “Não fui receber porque sou um empresário pequeno, ofereço meu serviço aqui. Este troféu é uma ajuda para aquele que trabalha com alimentação.  Acredito que a crítica tem que ser vista como uma orientação para que se procure fazer, pelo menos, perto do acordo que existe. No meu caso, por exemplo, se eu não tiver pão que presta eu não vou vender. Estou me aposentando, penso que já deu meu tempo de trabalho e quando vender meu estabelecimento quero que o próximo proprietário tenha o entendimento que qualidade é a única coisa que a gente pode pôr na mesa. Escolhi o nome Raio de Sol porque acredito que sempre tem esperança de vir algo quando o sol nasce”, finaliza.

 

    Os fiscais sanitários visitam estabelecimentos comerciais com base em denúncias. A DVISA possui um número específico para isso: 0800 647 0009. Caso haja irregularidades em um estabelecimento a Vigilância Sanitária do município notifica o lugar e normatiza para que o mesmo se adéque. Com uma nova ocorrência pelo mesmo motivo, uma segunda notificação é expedida. Na terceira vez caberá multa ou até mesmo interdição do estabelecimento conforme a gravidade da irregularidade.
 
 


Por Rebeca Barca | Fotos Roseval Guzo